You are currently viewing Energia em Alta: Entenda o aumento da conta de luz e como a energia solar pode ser a solução

O preço da energia elétrica ficou mais caro a partir de julho com o reajuste na bandeira tarifária vermelha patamar 2, cobrança adicional aplicada às contas de luz realizada quando aumenta o custo de produção de energia. A cobrança extra passou de R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 kWh consumidos, o que corresponde a uma alta de 52%.

As contas de energia passaram a funcionar em 2015 com o sistema de bandeiras tarifárias. Pelo modelo, as bandeiras, com as cores verde, amarela e vermelha, indicam as condições de geração de energia no país e funcionam como um “semáforo de trânsito”, sinalizando o custo de geração de energia para o consumidor.

Se há poucas chuvas e as termelétricas são acionadas, o custo sobe e a bandeira amarela ou vermelha entra em vigor. Se os reservatórios estão cheios, as termelétricas não são utilizadas e a bandeira em vigor é a verde.

A bandeira tarifária representa apenas uma parcela do valor da conta de luz de energia que é paga pelos consumidores para remunerar os custos de geração, transmissão e distribuição de energia, além dos encargos setoriais e impostos.

São definidas mensalmente e informadas na própria conta de luz. Se estiverem na cor verde, a tarifa não sofrerá nenhum acréscimo. Com a cor amarela, o aumento é de R$ 1,874 para cada 100 kWh consumidos no mês. Já na cor vermelha, o consumidor paga R$ 3,971 para cada 100 kWh no patamar 1 e R$ 9,492 para cada 100 kWh no patamar 2. 

Frente a esse aumento da conta de luz, os benefícios econômicos da geração fotovoltaica ficam ainda mais evidentes.Quem tem o sistema fotovoltaico deixa de se preocupar com bandeira verde, amarela ou vermelha. O consumidor sabe quanto vai pagar todo o mês, pois ele fez um hedge para não ter variação de preços na conta de energia por anos.

Invista já em energia solar, venha para a Flux!

Deixe uma resposta